Vacina Oxford/Fiocruz, que teve estudos da fase 3 conduzidos no Brasil pela Unifesp (Imagem: Alex Reipert)

Soraya Smaili
Reitora da Universidade Federal de São Paulo

um ano, a Unifesp iniciava o enfrentamento da covid-19. Logo no início do mês de março e antes da entrada do primeiro caso registrado no Hospital São Paulo (HSP/HU Unifesp), instalamos o Comitê Permanente para Enfrentamento da Pandemia de Coronavírus (CPEC/Unifesp), além da instalação do Comitê do Hospital. De lá para cá, o CPEC/Unifesp vem realizando reuniões e enfrentando a todo momento os diversos desafios, desde a orientação sobre os procedimentos de assistência, sobre a segurança dos(as) trabalhadores(as) da Unifesp, em especial do HSP/HU Unifesp, até a busca de condições materiais, compras, aquisições e contratações para atuar nos diversos momentos da pandemia que se alastrou por nosso país e atingiu fortemente a cidade e o Estado de São Paulo. A partir de orientações e discussões em todos os níveis da Unifesp, suspendemos as atividades presenciais não essenciais, visando, principalmente, a proteger a nossa comunidade da exposição ao coronavírus (Sars-CoV-2), responsável pelo desenvolvimento da a covid-19, e ajudar a diminuir a transmissão no nosso país.

Novos leitos HSP/HU Unifesp

Um ano depois dos primeiros casos e internações no HSP/HU Unifesp, modificamos nossa forma de trabalho e intensificamos nossas ações, com o objetivo de ajudar o país neste momento de pandemia. Fomos uma das primeiras instituições a se preparar para a assistência aos(às) pacientes acometidos(as) pela infecção e triplicamos o número de leitos hospitalares de enfermaria e UTI para covid-19. Criamos a Unidade de Insuficiência Respiratória, que em um ano realizou mais de 17 mil atendimentos ambulatoriais e triou os casos graves para internação. Fomos uma das primeiras instituições credenciadas como referência no diagnóstico, depois integradas a Rede Vírus, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), e atualmente realizamos cerca de 1.500 diagnósticos moleculares por mês. Nossos laboratórios de química do Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas (ICAQF/Unifesp) — Campus Diadema, produziram álcool gel para atender os laboratórios e hospitais no momento em que não havia o produto no mercado. Foram realizados inúmeros materiais didáticos para esclarecimentos sobre a doença, além de treinamentos específicos a todos(as) os(as) profissionais de saúde. Foram montadas estruturas para o atendimento psicológico dos(as) doentes, seus familiares, bem como de nossos(as) profissionais e estudantes. Desenvolvemos ventiladores e equipamentos de proteção individual, muitos deles produzidos por pesquisadores(as) do Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT/Unifesp) — Campus São José dos Campos, e por impressão 3D. Foram inúmeros projetos de pesquisa que foram acionados em uma estratégia de convergência, chegando hoje a mais de 180 projetos envolvendo seres humanos e registrados junto ao Comitê de Ética em Pesquisa (CEP/Unifesp). Somos a universidade federal com maior número de projetos de pesquisa na área da covid-19. Dentre esses projetos, se destacam os estudos da fase 3 da vacina de Oxford/Fiocruz e do envolvimento com uma das vacinas brasileiras que agora entrará em fase clínica. Ao mesmo tempo, muitos estudos pré-clínicos com novos fármacos e estudos clínicos com fármacos reposicionados têm sido realizados, para a busca de novas possibilidades terapêuticas aos(às) pacientes que adoecem. A nossa Agência de Inovação Tecnológica e Social (Agits/Unifesp) atuou para que as atividades de pesquisa e desenvolvimento na universidade pudessem resultar em ações inovadoras, como novos produtos, processos e serviços, que contribuíssem para soluções de problemas da sociedade. Destacamos as ações como o AGITSDay, Pint of Science e o crescimento do número de pedidos de patentes depositadas e concedidas pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi).

No âmbito administrativo e de assistência aos(às) estudantes, técnicos(as) e professores(as), destacamos, também, a Câmara Técnica para Compras e Serviços, por meio da qual a Unifesp conduziu um amplo processo de compras de forma coletiva entre várias universidades, trazendo grande economia para a administração pública, assim como o desenvolvimento de estratégias de atuação, como o Plano Emergencial para Permanência Estudantil com disponibilização de computadores, internet e cestas básicas para estudantes mais vulneráveis socioeconomicamente, o Plano de Formação Docente, para apoio ao ensino remoto, a discussão de estratégias pedagógicas, e a constituição da Rede de Apoio ao(à) Docente Unifesp. Na área de Recursos Humanos, foi possível a contratação de servidores(as) temporários(as), que foram fundamentais para o apoio aos serviços de assistência e para o revezamento com os(as) nossos(as) servidores(as) permanentes, que não tiveram trégua. No âmbito do planejamento de infraestrutura, nossas obras não pararam, apesar de termos tido atrasos de cronogramas. Foram entregues alguns equipamentos, foram implantados vários serviços, como o Hospital-Dia da Unifesp (HU2), agora em funcionamento, diminuindo os custos com aluguéis e melhorando os serviços de atendimento à população pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

VI Congresso Acadêmico da Unifesp

Apesar da pandemia e das limitações orçamentárias dos últimos anos, a Unifesp manteve as suas atividades extensionistas, com uma significativa participação de estudantes, docentes e técnicos(as). Muitas ações passaram por adaptações para contemplarem o isolamento social, outras tiveram um grande crescimento, como o Telessaúde, que, de 2.275 estudantes matriculados(as) em 2019, passou para 8.015 em 2020 (aumento de 252%). Entre as atividades de extensão, destacamos o VI Congresso Acadêmico da Unifesp, com a apresentação de mais de 1.730 trabalhos e 26 mil participantes, sendo quase 50% de pessoas externas à Unifesp de diversos estados do Brasil e também de outros países.

Em termos de avaliação externa, muito nos orgulha constar como primeira instituição federal de ensino superior (1ª), em conjunto com outras três, e a terceira (3ª) dentre todas as universidades do Brasil pelo conceituado Times Higher Education (THE) — World University Ranking 2021. Importante salientar que no ranking de impacto social do THE, a Unifesp atingiu altos conceitos em diversos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), sendo a primeira universidade no Brasil em igualdade de gênero (e sétima no mundo) e em redução das desigualdades. Seguimos adotando um modelo de governança com forte participação das estruturas colegiadas, atendendo a Constituição Federal, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) e seu Estatuto nos níveis estratégico e tático, e finalizamos o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) 2016–2020 com um balanço positivo sobre os objetivos e metas concluídos — com 10 das 12 Diretrizes Instituintes com média de execução de ações bem sucedidas, acima de 80%. Em 2020 trabalhamos intensamente e de forma participativa, usando ferramentas digitais, devido às limitações impostas pela pandemia, formulamos o PDI para o próximo quinquênio e o novo Projeto Político-Pedagógico, que passam a estar vigentes em 2021.

Continuamos e somos uma grande universidade. Nossa comunidade, em 2020, totalizou 13.740 estudantes de graduação, 5.424 estudantes de pós graduação, somando-se a eles(elas) 1.622 professores(as), quase em sua totalidade doutores(as) e atuando em período integral (dedicação exclusiva ou 40 horas), e 4.017 técnicos(as) em educação lotados(as), em mais de 60%, em nossos hospitais universitários. A Unifesp foi protagonista na expansão do Ensino Superior público nos últimos anos. Em 2005, possuíamos cinco cursos de graduação na área da saúde, e em 2020, 54 cursos distribuídos em todas as áreas do conhecimento, tendo 100% dos cursos notas 4 e 5 (máxima). Vale destacar o alto índice de preenchimento de vagas novas na graduação: 96,2% em 2020, demonstrando um resultado superior à média das demais universidades. Na pós-graduação stricto sensu, a Unifesp manteve a experiência bem estabelecida, com reconhecimento nacional e internacional em seus 71 programas de pós-graduação stricto sensu (PPGs), com notas significativamente superiores à média nacional, e contando com a aprovação de dois novos doutorados em 2020. Devido à pandemia, tivemos atrasos nos prazos de conclusão dos(as) estudantes, porém com uma baixíssima taxa de desistência, de apenas 1%. Eventos internacionais, novas parcerias com instituições/universidades estrangeiras consolidadas e a continuidade na implantação do Programa Capes Print foram fundamentais para o processo de internacionalização da Unifesp.

Em relação às doenças virais transmitidas de pessoa a pessoa, sem intermediários, a higiene e o distanciamento social são medidas preventivas necessárias e eficazes. Também sabemos que aumento nas transmissões podem levar a um aumento nas variantes que podem ser ainda mais virulentas. Sabemos que as vacinas existentes ainda não previnem a transmissão. Esses são os motivos pelos quais, mesmo vacinados, devemos nos isolar ao máximo até que o pesadelo passe. Os países que enfrentaram a pandemia com mais seriedade já se encontram mais próximos da normalidade. Nosso país vive, agora, um dos piores momentos desde março de 2020. Chegamos a cerca de 4.000 mortes por dia, e este número pode ainda aumentar. Somos solidários com todas as pessoas que perderam seus entes queridos, membros(as) da nossa comunidade acadêmica e da sociedade brasileira em geral.

Neste momento de pandemia, devemos reafirmar a importância da ciência, para garantirmos um futuro melhor aos(às) nossos(as) descendentes. Essa é a forma de construir a verdadeira sociedade do conhecimento, formada por pessoas com mais empatia e respeito ao outro e ao meio ambiente. O corpo social tem usado o conhecimento técnico-científico, associado à compaixão e à solidariedade, visando ao preenchimento do que entendemos ser a necessidade da humanidade neste momento. Essa mistura será fundamental para transformar a sociedade neste século.

Nossos agradecimentos a cada um e a cada uma de nossa comunidade. A todas as Escolas e Institutos, a todas as Pró-Reitorias, Superintendências e Diretorias Administrativas, à Fundação de Apoio da Unifesp e aos Hospital São Paulo, HU2 e todas as entidades com as quais a Unifesp mantém convênio e acordos de parceria.

Que o mês de abril possibilite maior consciência de nossos governantes e população e que nossa Unifesp continue em seu firme objetivo de atuar em prol de nossa sociedade.

Assista ao audiovisual sobre essas e outras ações da Unifesp nessa pandemia

Uma universidade que atua em todas as áreas do conhecimento, realizando com excelência atividades de ensino, pesquisa e extensão • http://www.unifesp.br/

Uma universidade que atua em todas as áreas do conhecimento, realizando com excelência atividades de ensino, pesquisa e extensão • http://www.unifesp.br/